Jorge FOSSATI

Jorge Fossati iniciou a carreira de treinador no River Plate, de Montevidéu. Trabalhou também no Danúbio (URU) em duas oportunidades e, em 1996, levou o Peñarol (URU) ao quarto título nacional da histórica sequência carbonera de cinco consecutivos.

Fora de seu país, foi campeão nacional pelo Cerro Porteño (PAR) e pela LDU (EQU). No clube de Quito, faturou ainda a Recopa e a Copa Sul-Americana em 2009. Na temporada seguinte, ganhou a Taça Fábio Koff - 2° turno do Campeonato Gaúcho – e conduziu o Inter à semifinal da Copa Libertadores antes de transferir-se ao Al-Shabab, da Arábia Saudita, no segundo semestre.

No início de 2011, acertou o retorno ao Al Sadd, do Catar, onde conquistou seis títulos em dois anos na primeira passagem, entre 2006 e 2007. Com o título da Liga dos Campeões da Ásia e a histórica medalha de bronze no Mundial do Japão, atingiu o ponto alto no trabalho desenvolvido no mundo árabe.

Os bons resultados obtidos nos recentes trabalhos possibilitaram ao uruguaio figurar na relação dos melhores técnicos do mundo - em 2009 e 2011, apareceu em nono lugar no ranking organizado pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS). 

Em maio de 2012, após o término do seu contrato no Al Sadd, acertou-se com o Cerro Porteño, o qual já dirigira com sucesso no final da década de 90. Levou o time paraguaio ao título do Torneio Apertura de 2012. Em 2013, voltou ao mundo árabe para comandar o Al Ain, dos Emirados Árabes.

Em 2014, novo retorno ao continente sul-americano. Fossati voltou ao seu país para dirigir o Peñarol. No mesmo ano, teve a possibilidade de comandar o time uruguaio na inauguração do novo estádio Beira-Rio, onde havia feito grande campanha na Libertadores de 2010, pelo Internacional.

A partir de julho de 2015, passou a comandar o Al Rayyan, do Catar, país em que tem o seu trabalho muito bem conceituado. Logo no (re)início, em setembro, foi escolhido o melhor treinador do mês, com uma arrancada de cinco vitórias em cinco jogos na Liga. A trajetória mostrou-se sustentável, e Fossati alcançou novo feito no futebol local: com seis rodadas de antecedência, levou sua equipe ao título construindo a melhor campanha do mundo em ligas nacionais - 20 vitórias em 21 partidas e 95% de aproveitamento. Na sequência da temporada, assumiu o comando da seleção catari para a disputa das Eliminatórias ao Mundial 2018 da Rússia.

Seleção Uruguaia
Em 2004, orientou a Celeste Olímpica na campanha do terceiro lugar na Copa América e, posteriormente, na disputa das Eliminatórias ao Mundial da Alemanha 2006.

Ficha técnica
64 anos - 22/11/1952
Montevidéu-URU

Clubes
1993 | River Plate-URU
1996 | Peñarol-URU
1997 | Cerro Porteño-PAR
1998 | Danúbio-URU
2001 | Colón-ARG
2002 | Danúbio-URU
2004 | Seleção Uruguaia
2006 | Al Sadd-CAT
2007 | Seleção do Catar
2009 | LDU-EQU
2010 | Internacional-BRA
2011 | Al Shabab-ARA
2011 | Al Sadd-CAT
2012 | Cerro Porteño-PAR
2013 | Al Ain-EAU
2014 | Peñarol-URU
2015 | Al Rayyan-CAT
2016 | Seleção do Catar

Títulos
1996 | Campeonato Uruguaio 
1997 | Campeonato Paraguaio 
2002 | Campeonato Uruguaio 
2003 | Campeonato Equatoriano 
2007 | Liga do Catar 
2007 | Copa do Rei
2007 | Copa do Príncipe
2009 | Recopa Sul-Americana 
2009 | Copa Sul-Americana 
2011 | Liga dos Campeões da Ásia
2012 | Campeonato Paraguaio
2016 | Liga do Catar